sexta-feira, 30 de março de 2007


CRESCIMENTO


Era manhã de mais um dia de trabalho. Um dia que parecia ser igual a todos os outros dias - isso para quem adora criar monotonias em sua própria vida.

Os funcionários chegaram na empresa do mesmo jeito que chegavamtodos os dias, mas já na entrada algo os surpreendeu.

Encontraram um cartaz na portaria dizendo: "faleceu ontem a pessoa que impedia o crescimento da empresa. Você está convidado para o velóriona quadra de esportes."

No início todos se entristeceram com a morte de alguém, mas, depois de algum tempo, ficaram bastante curiosos em saber quem havia morrido.

Quem estava bloqueando o crescimento da empresa ?

A agitação na quadra de esportes era tão grande que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Então, conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava: "quem será que estava atrapalhando o meu progresso ? " - diziam uns. "com certeza alguém envolvido em algum desvio de dinheiro !" - diziam outros.

"Ainda bem que este infeliz se foi !" - esbravejavam.

Assim, um a um, os funcionários agitados aproximavam-se do caixão, olhavam o defunto e engoliam em seco.

Ficavam em silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da al ma.

Pois bem, no visor do caixão havia um espelho... E cada um via a simesmo...

A lição da diretoria da empresa foi clara:

Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: você mesmo !

Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida.

Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida e, você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda, quando seus pais, filhos, mudam: ela se modifica quando você mesmomuda.

Você é o único responsável por ela, e o único que prestará contas dela.

O ser humano ainda espera demais por soluções e acontecimentos exteriores. Confundimos fé, esperança, com inatividade e preguiça.

Confundimos pacifismo com passividade.

Confundimos justiça com vingança.

É tempo de acordar e perceber que estamos no comando de nossa própria embarcação, e decidimos através do livre-arbítrio, os rumos de nossa viagem pelos mares do crescimento, da evolução.

Decidimos se chegaremos logo aos destinos, ou se permaneceremos por muito tempo à deriva.

Decidimos se manteremos o olhar no horizonte, e os ouvidos encantados pelo som do mar, ou se nos deixaremos seduzir pelo canto perigoso das sereias destas distrações do caminho que buscam nos fazer afundar, vestindo-se com trajes belos apenas.

Somos nós que decidimos o momento de perdoar.

Somos nós que decidimos o momento de começar a amar.

O amor não nos escolhe... Nós escolhemos o amor.

CIÚME DESTRUIDOR


A vida de Ana se tornara muito ruim, desde o momento em que começou a desconfiar que Artur, seu marido, tinha outra mulher.

Ana olhava para ele e se sentia traída. Toda vez que Artur chegava atrasado do trabalho, mesmo que dissesse que fora o trânsito complicado ou uma reunião de última hora, ela pensava: "demorou por causa da outra.

De-vem ter se encontrado hoje. Por isso se atrasou."

A paz do lar ficou comprometida. Ele chegava cansado, ela estava mal humorada e procurava todos os motivos para reclamar.

Por vezes, ela surpreendia Artur dispersivo, distante. O pensamento longe.

Era o suficiente para pensar consigo mesma: "olhe só como está pensativo ! Aposto que está pensando nela."

Finalmente, um dia, ela resolveu seguir o marido para o surpreender.

Esperou-o na saída do trabalho. Ele pegou o carro, andou algumas quadras e parou na floricultura. Ela viu quando ele escolheu as maravilhosas flores e saiu carregando-as com carinho.

"Mau-caráter", pensou ela. "Gastando com outra."

Aquilo a deixou de tal forma desconsertada, que começou a chorar. Foi para casa e se jogou na cama. Chorou muito.

Pouco depois, ela ouviu a porta abrir e seu marido chegar. Escutou os passos dele na escada, subindo até o quarto do casal, onde ela estava.

Mal o viu adentrar o quarto, ela se sentou na cama, os olhos vermelhos de chorar, os cabelos em desalinho e desabafou:

"Eu vi tudo. Você não pode negar. Comprou flores para ela. Rosas vermelhas maravilhosas. Você me traiu. Traiu o nosso amor."

Alterada, ela se levantou e avançou na direção dele.

Para sua surpresa, verificou que ele trazia nas mãos o lindo ramalhetede rosas vermelhas. Um pouco chateado, estendendo o ramalhete para ela, ele falou: "Ana, hoje é dia do nosso aniversário de casamento. Você nem se lembrou ?"

O ciúme cria quadros exagerados, fomentando desconfiança. Atestado de de insegurança, destrói o relacionamento pelo clima de tensão que cria a todo momento. Cultivador da infelicidade, o ciúme altera a correta visão dos fatos, aumentando a importância de pequenos atrasos, desejos não atendidos, esquecimentos de datas e compromissos a dois.

Criando azedume, envenena a alma e desassossega o pensamento.

Colocando óculos escuros na visão mental, tudo faz parecer escuro,sombrio, devastador. Uma distração é tida à conta de desinteresse. O atraso para um encontro é considerado desrespeito.

Fora da realidade sempre, o ciúme provoca cenas desastrosas e desgastantes, em situações onde uma leve indagação ou uma conversa a dois, com toda a certeza, resolveria.

Nunca deixemos que o ciúme nos atormente. Ele é o responsável pela devastação de corações e de lares.

Se nos sentimos inseguros, fortifiquemos a relação a dois com diálogosmais profundos, com saídas para um passeio ao luar ou um final de semana a sós.

Se o outro estiver, verdadeiramente, permitindo que a relação esfrie, que o amor amorne, providenciemos o melhor para o estreitamento dos laços afetivos, guardando a certeza de que é nos pequenos gestos que a relação se torna mais forte, mais firme.

A PAZ QUE EU TRAGO EM MEU PEITO


A paz que trago hoje em meu peito é diferente da paz que eu sonhei um dia...

Quando se é jovem ou imaturo, imagina-se que ter paz é poder fazero que se quer, repousar, ficar em silêncio e jamais enfrentar uma contradição ou uma decepção.

Todavia, o tempo vai nos mostrando que a paz é resultado do entendimento de algumas lições importantes que a vida nos oferece.

A paz está no dinamismo da vida, no trabalho, na esperança, na confiança, na fé...

Ter paz é ter a consciência tranqüila, é ter certeza de que se fez o melhor ou, pelo menos, tentou...

Ter paz é assumir responsabilidades e cumpri-las, é ter serenidade nos momentos mais difíceis da vida.

Ter paz é ter ouvidos que ouvem, olhos que vêem e boca que diz palavras que constroem.

Ter paz é ter um coração que ama...

Ter paz é brincar com as crianças, voar com os passarinhos, ouvir o riacho que desliza sobre as pedras e embala os ramos verdes que em suas águase espreguiçam...

Ter paz é não querer que os outros se modifiquem para nos agradar, é respeitar as opiniões contrárias, é esquecer as ofensas.

Ter paz é aprender com os próprios erros, é dizer não quando é não que se quer dizer... Ter paz é ter coragem de chorar ou de sorrir quando se tem vontade...

É ter forças para voltar atrás, pedir perdão, refazer o caminho, agradecer...

Ter paz é admitir a própria imperfeição e reconhecer os medos, as fraquezas, as carências...

A paz que hoje trago em meu peito é a tranqüilidade de aceitar os outros como são, e a disposição para mudar as próprias imperfeições.

É a humildade para reconhecer que não sei tudo e aprender até comos insetos...

É a vontade de dividir o pouco que tenho e não me aprisionar ao que não possuo.

É melhorar o que está ao meu alcance, aceitar o que não pode sermudado e ter lucidez para distinguir uma coisa da outra.

É admitir que nem sempre tenho razão e, mesmo que tenha, não brigar por ela.

A paz que hoje trago em meu peito é a confiança naquele que criou e governa o mundo...

A certeza da vida futura e a convicção de que receberei, das leis soberanas da vida, o que a elas tiver oferecido.

Às vezes, para manter a paz que hoje mora em teu peito, é preciso usar um poderoso aliado chamado silêncio. Lembra-te de usar o silêncio quando ouvir palavras infelizes.

A FORÇA DO AMOR


Eram noivos e se preparavam para o casamento, quando o pai da noiva descobriu que o rapaz era dado ao jogo. Decidiu se opor à realização do matrimônio, a pretexto de que o homem que se dá ao vício do jogo, jamais seria um bom marido. Contudo, a jovem obstinada decidiu se casar, assim mesmo. E conseguiu, fazendo valer a sua vontade, vencendo a resistência do pai. Nos primeiros dias de vida conjugal, o rapaz se portou como um marido ideal. Entretanto, com o passar dos dias, sentia crescer em si cada vez mais o desejo de voltar à mesa de jogo. Certa noite, incapaz de resistir, retornou ao convívio de seus antigos companheiros. Em casa, a jovem tomou um bordado e ficou aguardando. Embora ocupada com o trabalho manual, tinha os olhos presos ao relógio. As horas pareciam passar cada vez mais lentas. Já era alta madrugada, quando o marido chegou. Nem disfarçou a sua irritação, por surpreender a companheira ainda acordada. Logo imaginou que ela o esperava para censurar a sua conduta. Quando ele a interrogou sobre o que fazia àquela hora ela, com ternura e bondade na voz, disse que estava tão envolvida com seu bordado, que nem se dera conta da hora avançada. Sem dar maior importância à ocorrência, ela se foi deitar. No dia seguinte, quando ele retornou ainda mais tarde da casa de jogos, a encontrou outra vez a esperá-lo. "Outra vez acordada ?", perguntou ele quase colérico."Não quis que fosse se deitar, sem que antes fizesse um lanche. Preparei torradas, chá quentinho. Espero que você goste."E, sem perguntar ao marido onde estivera e o que fizera até aquela hora, a esposa o beijou carinhosamente e se recolheu ao leito. Na terceira noite, ela o esperou com um bolo delicioso, cuja receita lhe fora ensinada pela vizinha. Antes mesmo que o marido dissesse qualquer coisa, ela se prendeu aopescoço dele, abraçou-o e pediu que provasse da nova delícia. E assim, todas as madrugadas, a ocorrência se repetiu. O marido começou a se preocupar. Na mesa de jogo, tinha o pensamento menos preso às cartas do que à esposa, que o esperava, pacientemente, como um anjo da paz. Começou a experimentar uma sensação de vergonha, ao mesmo tempo de indiferença e quase repulsa por tudo quanto o rodeava. O que ele tinha em casa era uma mulher que o esperava, toda madrugada, para o abraçar, dar carinho. E ele, ali, naquele lugar ? Aos poucos, foi se tornando mais forte aquele incômodo. Finalmente, um dia, de olhar vago e distante, como se tivesse diante de si outro cenário, o rapaz se levantou de repente da mesa de jogo. Como se cedesse a um impulso quase automático, retirou-se, para nunca mais voltar.

Nos dias de hoje, é bem comum os casais optarem por se separar, atépor motivos motivos quase ingênuos. Poucas criaturas decidem lutar para harmonizar as diferenças, superaros problemas, em nome do amor, a fim de que a relação matrimonial se soli-difique. Contudo, quando o amor se expressa, todo o panorama se modifica. Édifícil a alma que resista às expressões do amor. Porque o amor traz a mensa-gem da plenificação, do bem estar, da alegria. Desta forma, é sempre salutar investir no amor, expressando-o atra-vés de gestos, pequenas atenções, gentilezas. O amor é o sentimento por excelência e tem a capacidade de trans-formar situações e pessoas.

domingo, 25 de março de 2007


CUIDADOS


"Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã, cuidará de si mesmo". - Jesus. (MATEUS, 6:34.)


Os preguiçosos de todos os tempos nunca perderam o ensejo de interpretar falsamente as afirmativas evangélicas. A recomendação de Jesus, referente à inquietude, é daquelas que mais se prestaram aos argumentos dos discutidores ociosos. Depois de reportar-se o Cristo aos lírios do campo, não foram poucos os que reconheceram a si mesmos na condição de flores, quando não passam, ainda, de plantas espinhosas. Decididamente, o lírio não fia, nem tece, consoante o ensinamento do Senhor, mas cumpre a vontade de Deus. Não solicita a admiração alheia, floresce no jardim ou na terra inculta, dá seu perfume ao vento que passa, enfeita a alegria ou conforta a tristeza, é útil à doença e à saúde, não se revolta quando fenece o brilho que lhe é próprio ou quando mãos egoístas o separam do berço em que nasceu. Aceitaria o homem inerte o padrão do lírio, em relação à existência na comunidade? Recomendou Jesus não guarde a alma qualquer ânsia nociva, relativamente à comida, ao vestuário ou às questões acessórias do campo material; asseverou que o dia, constituindo a resultante de leis gerais do Universo, atenderia a si próprio. Para o discípulo fiel, agasalhar-se e alimentar-se são verbos de fácil conjugação e o dia representa oportunidade sublime de colaboração na obra do bem. Mas basear-se nessas realidades simples para afirmar que o homem deva marchar, sem cuidado consigo, seria menoscabar o esforço do Cristo, convertendo-lhe a plataforma salvadora em campanha de irresponsabilidade. O homem não pode nutrir a pretensão de retificar o mundo ou os seus semelhantes de um dia para outro, atormentando-se em aflições descabidas, mas deve ter cuidado de si, melhorando-se, educando-se e iluminando-se, sempre mais. Realmente, a ave canta, feliz, mas edifica a própria casa. A flor adorna-se, tranqüila; entretanto, obedece aos desígnios do Eterno. O homem deve viver confiante, sempre atento, todavia, em engrandecer-se na sabedoria e no amor para a obra divina da perfeição.


Livro: Vinha de LuzEmmanuel - Francisco Cândico Xavier

SE CAÍSTE


Se caíste, não te acomodes no chão. Põe-te de pé e continua.
A queda te ensina o que nenhuma outra postura física é capaz.

Não te lamentes e nem permaneças na expectativa de que te levantem.

Reúna as forças que te sobraram e, de novo, retoma a caminhada.

Somente quem caiu pode advertir os incautos quanto aos perigos a que se encontram expostos. Não raro, Deus te consente a queda para que aprendas humildemente.

Nos passos de quem se dispõe a avançar, os tropeços são naturais e inevitáveis.

Quem não se movimenta, se não se arrisca a cair também não sai do lugar.

No exercício de cair e levantar-se é que o espírito se fortalece.


Irmão José/Carlos. A. Baccelli

SABER ESPERAR


Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccellilivro Vigiai e Orai

BUSCAR MUDANÇAS


Acalma os anseios de mudanças constantes.

Deus te colocou no melhor lugar para o teu progresso moral e espiritual.

O lar que tu tens, o trabalho em que te encontrar, a cidade onde resides, são oportunidades de treinamento para a tua evolução.

"Pedra que rola, não cria limo" - afirma o brocardo popular.

Quem sempre está de mudança não amadurece, nem realiza bem coisa alguma.

Cumpre a tarefa onde estejas, e, no momento próprio, toma o teu rumo definitivo.


Livro: Vida Feliz -- Joanna de Ângelis Divaldo P. Franco

quarta-feira, 21 de março de 2007


ABRE A PORTA

"E havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo." - (JOÃO, 20:22.)


Profundamente expressivas as palavras de Jesus aos discípulos, nas primeiras manifestações depois do Calvário.Comparecendo à reunião dos companheiros, espalha sobre eles o seu espírito de amor e vida, exclamando: "Recebei o Espírito Santo."Por que não se ligaram as bênçãos do Senhor, automaticamente, aos aprendizes?por que não transmitiu Jesus, pura e simplesmente, o seu poder divino aos sucessores? Ele, que distribuíra dádivas de saúde, bênçãos de paz, recomendava aos discípulos recebessem os divinos dons espirituais. Por que não impor semelhante obrigação? É que o Mestre não violentaria o santuário de cada filho de Deus, nem mesmo por amor. Cada espírito guarda seu próprio tesouro e abrirá suas portas sagradas à comunhão com o Eterno Pai. O Criador oferece à semente o sol e a chuva, o clima e o campo, a defesa e o adubo, o cuidado dos lavradores e a bênção das estações, mas a semente terá que germinar por si mesma, elevando-se para a luz solar. O homem recebe, igualmente, o Sol da Providência e a chuva de dádivas, as facilidades da cooperação e o campo da oportunidade, a defesa do amor e o adubo do sofrimento, o carinho dos mensageiros de Jesus e a bênção das experiências diversas;todavia, somos constrangidos a romper por nós mesmos os envoltórios inferiores, elevando-nos para a Luz Divina. As inspirações e os desígnios do Mestre permanecem a volta de nossa alma, sugerindo modificações úteis, induzindo-nos à legítima compreensão da vida, iluminando-nos através da consciência superior, entretanto, está em nós abrir-lhes ou não a porta interna. Cessemos, pois, a guerra de nossas criações inferiores do passado e entreguemonos, cada dia, às realizações novas de Deus, instituídas a nosso favor, perseverando em receber, no caminho, os dons da renovação constante, em Cristo, para a vida eterna.


Livro Vinha de Luz Emmanuel -- Francisco Cândido Xavier



COMO AMPARAR



O que rouba o seu pai, ou a sua mãe, e diz: Não é pecado, companheiro é do destruidor. Pv. 28:24




É dever dos filhos, na qualidade de companheiros do lar, ajudar a seus pais naquilo que estiver ao seu alcance. Se já tens algo de compreensão nas linhas do saber, não te esqueças de doá-lo aos teus progenitores.


-o-Teus pais serviram de instrumentos para que aparecesses na Terra. E isso constitui uma misericórdia de Deus.


-o-O filho adulto é um prosseguimento dos pais; o lar é teu também, os deveres de casa te pertencem, e os cuidados do ambiente em que vives devem ser o teu hábito natural.


-o-Se o teu modo de ser encontra resistência dentro da tua casa, não dês vazão aos instintos inferiores. Lembra-te que o amor cobre tudo, com grande saldo de paz. Trabalha em favor de todos, em nome de Deus.


-o-Pensa em como amparar àqueles que te cercam, estuda como ajudar aos que caminham contigo, e ora em benefício dos teus irmãos em Cristo, que os céus não faltarão com a inspiração de como ajudar.


-o-Não tires nada de teus pais, acreditando que as coisas deles são tuas. Caso precises, pede com humildade e, caso possas, repõe com dignidade aquilo que te serviu.


-o-Não sejas companheiro do destruidor, porque tudo que destruímos as leis nos cobram.


-o-Um bom filho é alegria para os pais, entusiasmo para os professores e exemplo vivo para os seus companheiros.


-o-Pecado, no nosso entendimento, é tudo aquilo que foge às leis de Deus, que todos conhecemos no livro da consciência.


-o-Fica bem com os teus pais, pois todos são Espíritos comprometidos com a lei. O lar é uma esponja para absorver os males cármicos e aprumar as Almas para as diretrizes do bem que nunca morre.


-o-o-o-




(De “Gotas do Bem”, de João Nunes Maia, pelo Espírito Carlos)

CARIDADE E ESPERANÇA


Lembra-te da esperança para que a tua caridade não se faça incompleta.

*Darás ao faminto, não somente a côdea de pão que lhe mitigue a fome, mas também o carinho da palavra fraterna, com que se lhe restaurem as energias.

*Não apenas entregarás ao companheiro, abandonado à intempérie, a peça que te sobra ao vestiário opulento, mas agasalha-lo-ás em teu sorriso espontâneo a fim de que se reerga e prossiga adiante, revigorado e tranqüilo.

*Não olvides a paciência divina com que somos tolerados a cada hora.

*Qual acontece ao campo da natureza, em que o Sol mil vezes injuriado pela treva, mil vezes responde com a bênção da luz, dentro de nossa vida, assinalamos a caridade infinita de Deus, refazendo-nos a oportunidade de servir e aprender, resgatar e sublimar todos os dias.

*Não te faças palmatória dos próprios irmãos, aos quais deves a compreensão e a bondade de que recebes as mais elevadas quotas do Céu, na forma de auxílio e misericórdia, em todos os instantes da experiência.

*Não profiras maldição nem espalhes o tóxico da crítica, no obscuro caminho em que jornadeiam amigos menos ditosos, ainda incapazes de libertarem a si mesmos das algemas da ignorância. *Recorda que Jesus nos chamou à senda terrestre para auxiliar e salvar, onde muitos já desertaram da confiança no eterno bem.

*Seja onde for e com quem for, atende à esperança para que o mundo conquiste a vitória a que se destina.

*Aliviar com azedume é alargar a ferida de quem padece e dar com reprimendas é envolver o socorro em repulsivo vinagre de desânimo ou desespero.

*À maneira de raio solar que desce à furna cada manhã, restaurando o império da luz, sem reclamação e sem mágoa, sê igualmente para os que te rodeiam a permanente mensagem do amor que tudo compreende e tudo perdoa, amparando e auxiliando sem descansar, porque somente pela força do amor alcançaremos a luz imperecível da vida.


(De "Caridade", Emmanuel / F. C. Xavier - Espíritos Diversos)

terça-feira, 20 de março de 2007


TUA HORA DE HUMILDADE


Se ainda te observas distante de viver a humildade continuamente em todas as horas do dia, podes vivê-la uma hora diária pelo menos... Traça o teu programa diário de humildade iniciante. Escolhe uma hora dentre as horas de cada dia a fim de aperfeiçoares os próprios sentimentos, exercitando a maior conquista do espírito - a humildade. Que nessa hora te despreocupes da pressa, da convenção, do calculismo, das inquietações contumazes e de ti mesmo, para que te adestres no sacrifício, na indulgência desinteressada, na solicitude fraterna e na cooperação espontânea. Será essa a tua hora de procurar o último lugar, a hora de te apagares para que se eleve o brilho dos outros... Em tua hora de humildade constituir-te-ás em médium do amor de Cristo entre os homens; serás, especialmente, o servo de todos, o irmão comum, a partícula viva e anônima que se funde no todo da Humanidade, sem qualquer amor-próprio ou interesse pessoal. Que olvides, nesse lapso de tempo, toda tisna de vaidade, todo propósito de personalismo e até as mínimas excitações acerca do futuro para viver o presente, o dia que flui, os momentos de teu serviço puro! Nessa hora sê bom acima de ti, acima de tudo, acima de tuas próprias vantagens, para que teus sorrisos abram outros sorrisos, para que tua palavra confiante semeie outras palavras de esperança, para que tua vontade de acertar alicie outras vontades para a renovação maior. Anula nesses sessenta minutos a tensão emocional a respeito de títulos, condições sociais, inclusive a censura a ti próprio, no que tange à defesa do teu lugar ao sol... Que a tua hora de humildade seja cultivada esmeradamente, cada dia, nos lugares em que deva ser exercida para favorecer-te a ascensão espiritual, seja no escritório, na via pública, no entendimento entre amigos ou na intimidade do lar... Que nesse interregno respires acima de todas as conveniências individuais, fazendo maiores concessões ao próximo, superando o temperamento, procurando usar mais ampla docilidade com quem te não compreende, buscando acertar onde ninguém ainda o conseguiu, diligenciando efetuar os mais difíceis serviços de fraternidade, testemunhando o bem na escala que ainda não pudeste e relembrando que o teu corpo, em dia próximo, regressará, inelutavelmente ao pó de onde veio. Recebe no coração a visita do Senhor, ainda que por breves minutos durante o dia. Começa a ser humilde, abolindo todo desculpismo e conquistando o tempo necessário para a tua hora de humildade e acabarás incorporando em ti mesmo os valores supremos do benfeitor maior que, na conceituação do Cristo, será sempre aquele que se fizer o servidor de todos.

ANDRÉ LUIZ(Do livro “Sol nas Almas” , cap. 8)

NOS MOMENTOS GRAVES


Use calma. A vida pode ser um bom estado de luta, mas o estado de guerra nunca será uma vida boa.
Não delibere apressadamente. As circunstâncias, filhas dos Desígnios Superiores, modificam-nos a experiência, de minuto a minuto.
Evite lágrimas inoportunas. O pranto pode complicar os enigmas ao invés de resolvê-los.
Se você errou desastradamente, não se precipite no desespero. O reerguimento é a melhor medida para aquele que cai.
Tenha paciência. Se você não chega a dominar-se, debalde buscará o entendimento de quem não o compreende ainda.
Se a questão é excessivamente complexa, espere mais um dia ou mais uma semana, a fim de solucioná-la. O tempo não passa em vão.
A pretexto de defender alguém, não penetre o círculo barulhento. Há pessoas que fazem muito ruído por simples questão de gosto.
Seja comedido nas resoluções e atitudes. Nos instantes graves, nossa realidade espiritual é mais visível.
Em qualquer apreciação, alusiva a segundas e terceiras pessoas, tenha cuidado. Em outras ocasiões, outras pessoas serão chamadas a fim de se referirem a você.
Em hora alguma proclame seus méritos individuais, porque qualquer qualidade excelente é muito problemática no quadro de nossas aquisições. Lembre-se de que a virtude não é uma voz que fala, e, sim, um poder que irradia.

ANDRÉ LUIZ


DEFENDA-SE

Não converta seus ouvidos num paiol de boatos.A intriga é uma víbora que se aninhará em sua alma.
Não transforme seus olhos em óculos da maledicência.As imagens que você corromper viverão corruptas na tela de sua mente.
Não faça de suas mãos lanças para lutar sem proveito.Use-as na sementeira do bem.
Não menospreze suas faculdades criadoras, centralizando-as nos prazeres fáceis.Você responderá pelo que fizer delas.
Não condene sua imaginação às excitações permanentes.Suas criações inferiores atormentarão seu mundo íntimo.
Não conduza seus sentimentos à volúpia de sofrer.Ensine-os a gozar o prazer de servir.
Não procure o caminho do paraíso, indicando aos outros a estrada para o inferno. A senda para o Céu será construída dentro de você mesmo.

ANDRÉ LUIZ(Agenda Cristã, 41)
Que a sua semana seja plena de felizes realizações,com Jesus...

RESPEITO AO PRÓXIMO


Deus não nos fez desligados da Humanidade. Somos elos da grande corrente universal e as energias divinas que vão alcançar os outros devem passar por nós, beneficiando-nos e ao nosso próximo. Carecemos dos outros, qual eles de nós na imensa vinha do nosso Pai Celestial. Portanto, o nosso segundo dever é amar o próximo, como nos aconselha o Mestre por intermédio do Seu Evangelho de Luz. E amar é acatar os direitos daqueles que andam conosco no mesmo caminho. Nada fazemos sem a participação dos nossos irmãos. Cada um nos ajuda em algo de que carecemos. Somos devedores da humanidade, como também emprestamos a ela o nosso concurso, e a fraternidade é o caminho mais desejado na área do Bem, ao tratarmos com os nossos companheiros.
As exigências devem ser feitas a nós para com nós mesmos; o apreço, esse deve ser dirigido aos nossos semelhantes.
A imposição é o modo de nos educarmos; a consideração, o ambiente que deve ser feito aos companheiros de labor.
O mando deve ser a disposição na disciplina dos nossos instintos. A cortesia haverá de ser o meio de comunicar mais agradável com os nossos irmãos.
A imposição é o caminho interno quando nos indica o bem, a fraternidade nos faz atrair companheiros para o mesmo convívio.
A crítica encontra campo frutífero quando exercida no nosso mundo interno.
E a ponderação cresce e faz crescer a nossa amizade em todos os rumos. O mal merecedor de comentário é aquele que fazemos; em referência aos outros, o resguardo nos traz confiança de que todos se esforçam para o melhor.
Se tens alguma educação, aplica-a diante dos outros, e se isso te falta, lembra-te de ti mesmo. O nosso mundo interno é uma lavoura grandiosa que poderá dar muitos frutos e flores compatíveis com o nosso comportamento. Trabalhemos nele.
Quando deixamos o nosso sítio íntimo para analisar e falar mal do que não nos pertence, cresce em nós a erva daninha capaz de sufocar o trigo do Bem, que já havíamos plantado. A energia que nos foi dada deve ser usada na auto-educação, estabelecendo assim, no nosso reino, a verdadeira harmonia espiritual, que se refletirá em todos os outros corpos. Mas, com respeito aos outros, a maior cota que poderemos fornecer para os seus corações é o exemplo dignificante, é a vivência no Amor nos caminhos da Caridade.
Se deres a devida importância ao teu próximo, nunca perderás. Receberás, pelos meios que por vezes ignoras a atenção que te agradará e te fará feliz. Respeita os direitos dos outros, que eles, certamente, e por lei, respeitarão os teus; e ainda, a harmonia do Universo compartilhará contigo no Bem que estimas fazer, por necessidade de amar, utilizando o comportamento elevado para ajudar a construir o reino de Deus nos corações, como também o Céu em qualquer lugar em que estiveres.
Confiemos nas forças superiores e também nas nossas, que elas crescerão de acordo com as nossas disposições de melhorar, sem nunca nos esquecermos da deferência para com aqueles que nos seguem, instruindo-nos e aqueles que nos instruem, seguindo-nos.
O respeito é luz, porque ajuda a transformar as trevas em claridades imortais.

Cirurgia Moral
João Nunes Maia
Pelo Espírito Lancellin

quinta-feira, 15 de março de 2007


NA VIA PÚBLICA


A rua é um departamento importante da escola do mundo, onde cada criatura pode ensinar e aprender.
Encontrando amigos ou simples conhecidos, tome a iniciativa da saudação, usando cordialidade e carinho sem excesso.
Caminhe em seu passo natural ou dentro da movimentação que se faça precisa, como se deve igualmente viver: sem atropelar os outros.
Se você está num coletivo, acomode-se de maneira a não incomodar os vizinhos.
Se você está de carro, por mais inquietação ou mais pressa, atenda as leis do trânsito e aos princípios do respeito ao próximo, imunizando-se contra males suscetíveis de lhe amargurarem por longo tempo.
Recebendo as saudações de alguém, responda com espontaneidade e cortesia.
Não detenha companheiros na vida pública, absorvendo-lhes tempo e atenção com assuntos adiáveis para momento oportuno.
Ante a abordagem dessa ou daquela pessoa, pratique a bondade e a gentileza, conquanto a pressa, freqüentemente, esteja em suas cogitações.
Em meio às maiores exigências de serviço, é possível falar com serenidade e compreensão, ainda mesmo por um simples minuto.
Rogando um favor, faça isso de modo digno, evitando assovios, brincadeiras de mau gosto ou frases desrespeitosas, na certeza de que os outros estimam ser tratados com o acatamento que reclamamos para nós.
Você não precisa dedicar-se à conversação inconveniente, mas se alguém desenvolve assunto indesejável é possível escutar com tolerância e bondade sem ferir o interlocutor.
Pessoa alguma, em sã consciência, tem a obrigação de compartilhar perturbações ou conflitos de rua.
Perante alguém que surge enfermo ou acidentado, coloquemo-nos, em pensamento, no lugar difícil desse alguém e providenciemos o socorro possível.

André Luiz

LIBERTE SUA ALMA


Não se prenda à beleza das formas efêmeras. A

flor passa breve.
Não amontoe preciosidades que pesem na balança do mundo. As correntes de ouro prendem tanto quanto as algemas de bronze.
Não se escravize às opiniões da leviandade ou da ignorância. Incitatus, o cavalo de Calígula, podia comer num balde enfeitado de pérolas, mas não deixava, por isso, de ser um cavalo.
Não alimente a avidez da posse. A casa dos numismatas vive repleta de moedas que serviram a milhões e cujos donos desapareceram.
Não perca sua independência construtiva a troco de considerações humanas. A armadilha que pune o animal criminoso é igual à que surpreende o canário negligente.
Não acredite no elogio que empresta a você qualidades imaginárias. Vespas cruéis por vezes se escondem no cálice do lírio.
Não se aflija pela aquisição de vantagens imediatas na experiência terrestre. Os museus permanecem abarrotados de mantos de reis e de outros "cadáveres de vantagens mortas".

André Luiz

ANGÚSTIA E PAZ


Previne-te contra a angústia.
Esta tristeza molesta, insidiosa, contínua, arrasta-te a estado perturbador.
Essa insatisfação injustificável, perseverante, penosa, conduz-te a desequilíbrio imprevisível.
Aquela mágoa que conservas, vitalizada pela revolta sem lógica, impele-te a desajuste insano.
Isso que te assoma em forma de melancolia, que aceitas, empurra-te a abismo sem fundo.
Isso que aflora com freqüência, instalando nas tuas paisagens mentais de pressão constante, representa o surgimento de problema grave.
Aquilo que remóis, propiciando-te dor e mal-estar, impele-te a estados infelizes, que te atormentam.
A angústia possui gêneses. Várias.
Procede de erros que se encontram fixados no ser desde a reencarnação anterior, como matriz que aceita motivos verdadeiros ou não, para dominar quem deveria envidar esforços por aplainar e vencer as imposições negativas e as compulsões torpes.
Realmente, não há motivos que justifiquem os estados de angústia.
A angústia entorpece os centros mentais do discernimentos e desarticula os mecanismos nervosos, transformando-se em fator positivo de alienações.
Afeta o psiquismo, o corpo e a vida, enfermando o espírito.
Rechaça a angústia, pondo sol nas tuas sombras-problemas.
Não passes recibo aos áulicos da melancolia e dispersa com a prece as mancomunações que produzem angústia.
Fomenta a paz, que á antídoto da angústia.
Exercita a mente nos pensamentos otimistas e cultiva a esperança.
Trabalha com desinteresse, fazendo pelo próximo o que dizes dele não receber.
A paz é fruto que surge em momento próprio, após a germinação e desenvolvimento do bem no coração.
Jamais duvides do amor de Deus.
Fixado no propósito de crescimento espiritual, transfere para depois o que não logres agora, agindo com segurança.
Toda angústia dilui-se na água corrente da paz.

Joana de Ângelis

quarta-feira, 14 de março de 2007



CORRIGENDAS


"Porque o Senhor corrige ao que ama e açoita a qualquer que recebe por filho."-Paulo.

(HEBREUS, 12:6.)


Quando os discípulos do Evangelho começam a entender o valor da corrigenda, eleva-se-lhes a mente a planos mais altos da vida.
Naturalmente que o Pai ama a todos os filhos, no entanto, os que procuram compreendê-lo perceberão, de mais perto, o amor divino.
Máxima identificação com o Senhor representa máxima capacidade sentimental.
Chegado a essa posição, penetra o espírito em outras zonas de serviço e aprendizado.
A princípio, doem-lhe as corrigendas, atormentam-no os açoites da experiência, entretanto, se sabe vencer nas primeiras provas, entra no conhecimento das próprias necessidades e aceita a luta por alimento espiritual e o testemunho de serviço diário por indispensável expressão da melhoria de si mesmo.
A vida está repleta de lições nesse particular.
O mineral dorme.
A árvore sonha.
O irracional atende ao impulso.
O homem selvagem obedece ao instinto.
A infância brinca.
A juventude idealiza.
O espírito consciente esforça-se e luta.
O homem renovado e convertido a Jesus, porém, é o filho do céu, colocado entre as zonas inferiores e superiores do caminho evolutivo. Nele, o trabalho de iluminação e aperfeiçoamento é incessante; deve, portanto, ser o primeiro a receber as corrigendas do Senhor e os açoites da retificação paterna.
Se te encontras, pois, mais perto do Pai, aprende a compreender o amor da educação divina.



Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Vinha de Luz.Ditado pelo Espírito Emmanuel.Lição 22.


CONTATO COM OS GUIAS ESPIRITUAIS


Afliges-te, porque ainda não lograste o contato psíquico com os teus guias espirituais.
Reflexionas que buscaste a fé religiosa, abraçando a mediunidade, e, não obstante, tens a impressão que navegas sem rumo, padecendo conflitos e experimentando desânimo.
Momentos surgem nos quais receias pela legitimidade do intercâmbio espiritual de que te fazes objeto.
Anseias por informações precisas sobre o teu papel nas tarefas da mediunidade.
Relacionas pessoas que te parecem menos equipadas, e, apesar disso, apresentam-se superprotegidas pelos Espíritos Nobres, assessoradas por Benfeitores Venerandos e Entidades outras, que na Terra deixaram nomes respeitáveis, famosos...
Planejas desistir, acreditando que as tuas são faculdades atormentadas, sem credencial ou recurso capaz de registrar a proteção dos guias espirituais.
*
Tem, porém, cuidado e medita sem queixa.
A mediunidade é instrumento de serviço em nome do amor de Deus, para apressar o progresso dos homens e facultar o intercâmbio com os Espíritos, deles recebendo a ajuda.
Candidatas-te ao labor socorrista, como recurso saudável para te recuperares moralmente do passado delituoso, mediante cuja contribuição terias, também, as dores lenidas ou alteradas no seu organograma para a evolução.
Honrado pelo trabalho de iluminação de consciência, estás colocado como veículo de bênçãos.
Buscam-te os sofredores, porque são trazidos a ti pelos teus guias espirituais, que confiam na tua ductibilidade, no teu sentimento de amor.
Porque não ouves os teus Benfeitores, não te creias abandonado, sem apoio.
Tem paciência.
Faze silêncio íntimo e entrega-te mais.
Quando desdobrado parcialmente pelo sono, eles te confortam e instruem, fortalecem-te e programam as atividades para as quais renasceste.
Se não o recordas conscientemente, ficam impressos nos teus registros psíquicos, esses salutares conúbios edificantes.
Se aprofundares reflexão, perceberás quantas vezes eles já te falaram, socorreram e apoiaram nos momentos rudes das provações e dos testemunhos.
Eles são discretos e agem sem alarde, não brindando recursos que induzam à vaidade, ao exibicionismo.
Amparam em silêncio, instruem em calma, conduzem com afabilidade.
*
Quando vejas, na mediunidade, o campeonato das disputas humanas e o calafrio que provoca a presença de seres nobres do passado, aureolando com pompa terrestre a memória, que pretendem manter rutilante, acautela-te e desconfia.
Importante não é o nome que firma ou enuncia uma mensagem, mas, sim, o seu conteúdo de qualidade e penetração benéfica.
Desse modo, trabalha no anonimato e, consciente das responsabilidades que te dizem respeito, deixa que os teus guias espirituais zelosamente te guardem e conduzam, não te expondo no palco da insensatez, onde brilha por um dia e se apaga de imediato a vaidade humana.


Franco, Divaldo Pereira. Da obra: Momentos de Felicidade.Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis.2a edição. Salvador, BA: LEAL, 1990.


ACIDENTES


Reflitamos nisto:se tiveres humildade e calma, num instante de crise, guarda a certezade que conseguirás evitar longo tempo de remorso e pesar.

* * *


Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caminhos.Ditado pelo Espírito Emmanuel.2a edição. Jabaquara, SP: CEU, 1981.

domingo, 11 de março de 2007



CARIDADE DO TEMPO


Amplia-se na vida, segundo as nossas necessidades, o tema sempre novo da caridade.
Ninguém calcula a importância do pão que socorre o faminto, nem o valor do remédio que alivia o doente.
Outras expressões de beneficência, contudo, vão surgindo imperiosas.
Uma delas, que raramente refletimos, baseia-se na dádiva das horas – caridade do tempo, ao alcance de todos.
Não há criatura impedida de exercê-la. Em qualquer clima social, semelhante cooperação é fundamento do bem.
Um dia de trabalho gratuito no levantamento das boas obras. . .
Uma semana tomada às férias para concurso desinteressado às instituições que reúnem doentes menos felizes. . .
Um horário de serviço puramente fraterno na esfera profissional para os que nos reclamam a experiência. . .
Um momento de tolerância e respeito para os que se extraviam na cólera. . .
Um minuto a mais de atenção para a conversa de alguém que ainda ignora o processo de resumir. . .
Uma hora para a visita espontânea ou solicitada em que sejamos úteis. . .
Todos podemos calar para que outros falem, extrair alguns instantes dos apertos do dia a dia para atividades edificantes, empregar retalhos de repouso no estudo para conseguir esclarecer ou ensinar, suprimir um passeio ou uma distração para a felicidade de servir. . .
Não nos esqueçamos de articular oportunidades em auxílio de outrem.
Caridade do tempo, fonte de amor e luz. É com ela e por ela que a própria Sabedoria Divina nos ampara e nos reergue, corrige e aprimora, usando paciência infinita conosco, através das reencarnações.


ANDRÉ LUIZ
Psicografia - Waldo Vieira

TOLERÂNCIA E COERÊNCIA


Compreender o desculpar sempre., porque todos necessitamos de compreensão e desculpa,.nas horas do desacerto,. mas observar a coerência para que os diques da tolerância, não se esbarrondem, corroídos pela displicência sistemática, patrocinando a desordem.
Disse Jesus: “amai os vossos inimigos.
E o Senhor ensinou-nos realmente a amá-los, através dos seus próprios exemplos de humildade sem servilismo e de lealdade sem arrogância.
Ele sabia que Judas, o discípulo incauto, bandeava-se, pouco a pouco, para a esfera dos adversários que lhe combatiam a mensagem renovadora.
A pretexto de amar os inimigos, ser-lhe-ia lícito afastá-lo da pequena comunidade, a fim de preservá-la, mas preferiu estender-lhe mãos fraternas, até a última crise de deserção, ensinando-nos o dever de auxiliar aos companheiros de tarefa, na prática do bem, enquanto isso se torne possível.
Não ignorava que os supervisores do Sinédrio lhe tramavam a perda...
A pretexto de amar os inimigos, poderia solicitar-lhes encontros cordiais para a discussão de política doméstica, promovendo recuos e concessões, de maneira a poupar complicações aos próprios amigos, mas preferiu suporta-lhes a perseguição gratuita, ensinando-nos que não se deve contender, em matéria de orientação espiritual, com pessoas cultas e conscientes, plenamente informadas quanto às obrigações que a responsabilidade do conhecimento superior preceita.
Certificara-se de que Pilatos, o juiz dúbio, agia, inconsiderado...
A pretexto de amar os inimigos, não lhe seria difícil recorrer à justiça de instância mais elevada, mas preferiu agüentar-lhe a sentença iníqua, ensinando-nos que a atitude de todos aqueles que procuram sinceramente a verdade não comporta evasivas.
Percebia, no sacrifício supremo, que a multidão se desvairava...
A pretexto de amar os inimigos, era perfeitamente cabível que alegasse a extensão dos serviços prestados, pedindo a comiseração pública, a fim de que não se lhe não golpeassem a obra nascente, mas preferiu silenciar e partir, invocando o perdão da Providência Divina para os próprios verdugos, ensiando-nos que é preciso abençoar os que nos firam e orar por eles, sem contudo, premiar-lhes a leviandade para que a leviandade não alegue crescimento com o nosso apoio.
Jesus entendeu a todos, beneficiou a todos, socorreu a todos e esclareceu a todos, demonstrando-nos que a caridade, expressando amor puro, é semelhante ao sol que abraça a todos, mas não transigiu com o mal.
Isso quer dizer que fora da caridade não há tolerância e que não há tolerância sem coerência.


EMMANUEL
Psicografia do médium Francisco Cândido Xavier.


BENS TERRENOS


" A vida de um homem não consiste na abundância das coisas que possui."
- Jesus (Lucas, 12:15.)

" A vida de um homem não consiste na abundância das coisas que possui."
A palavra do Mestre está cheia de oportunidade para quaisquer círculos de atividade humana, em todos os tempos.
Um homem poderá reter vasta porção de dinheiro. Porém, que fará dele?
Poderá exercer extensa autoridade. entretanto como se comportará dentro dela?
Poderá dispor de muitas propriedades. todavia, de que modo utiliza os patrimônios provisórios?
Terá muitos projetos elevados. Quantos edificou?
Poderá guardar inúmeros ideais de perfeição. Mas estará atendendo aos nobres princípios de que é portador?
Terá escrito milhares de páginas. Qual a substância de sua obra?
Contará muitos anos de existência no corpo. No entanto, que fez do tempo?
Poderá contar com numerosos amigos. Como se conduz perante as afeições que o cercam?
Nossa vida não consiste da riqueza numérica de coisas e graças, aquisições nominais e títulos exteriores. Nossa paz e felicidade dependem do uso que fizermos, onde nos encontramos hoje, aqui e agora, das oportunidades e dons, situações e favores, recebidos do Altíssimo.
Não procures amontoar levianamente o que deténs por empréstimo.Mobiliza com critério, os recursos depositados em tuas mãos.
O Senhor não te identificará pelos tesouros que ajuntaste, pelas bênçãos que retiveste, pelos anos que viveste no corpo físico. Reconhecer-te-á pelo emprego dos teus dons, pelo valor de tuas realizações e pelas obras que deixaste, em torno dos teus próprios pés.

EMMANUEL



DOMINAR A LÍNGUA


Dominas o fogo, escravizando-o à lide caseira.
Burilas a pedra, arrancando-lhe obras primas.
Conquistas os metais, neles plasmando complicadas expressões de serviço.
Amansas os animais ferozes, deles fazendo cooperadores na economia doméstica.
Disciplinas o vapor e o combustível, anulando as distâncias.
Diriges tratores pesados, transfigurando a face da gleba.
Submetes a eletricidade, e glorificas a civilização.
Retiras o veneno de serpentes temíveis, fabricando remédios.
Senhoreias a energia nuclear, e começas alterar, com ela, a fisionomia do mundo.
Controlas a velocidade, e inicias excursão para além do Planeta.
Entretanto, ai de nós! Todos trazemos leve músculo selvagem, muito distante da educação.
Com ele, forjamos guerra.
Libertamos instintos inferiores.
Destruímos lares.
Empestamos vidas alheias.
Envilecemos o caminho dos outros.
Corrompemos o próximo.
Revolvemos o lixo mortal da Terra.
Veiculamos o pessimismo.
Criamos infinitos problemas.
Injuriamos.
Criticamos.
Caluniamos.
Deprimimos.
Esse órgão minúsculo é a língua - lâmina pequenina, embainhada na boca.
Instrumento sublime, feito para louvar e instruir, ajudar e incentivar o bem, quantas vezes nos valemos dela para censurar e vergastar, perturbar e ferir!....
Governemo-la, pois, transformando-a em leme de paz e amor, no barco de nossas vidas! E, alicerçados nas lições do Evangelho, roguemos a Deus nos inspire sempre a dizer isso ou aquilo como o próprio Jesus desejaria ter dito.


EMMANUEL
Psicografia de Francisco Cândido Xavier

sexta-feira, 9 de março de 2007



QUE DIFERENÇA FAZ UMA ESTAÇÃO?


Um homem tinha quatro filhos. Ele queria que seus filhos aprendessem a não julgar as coisas de modo apressado, por isso, ele mandou cada um em uma viagem, para observar uma pereira que estava plantada em um distante local.
O primeiro filho foi lá no Inverno, o segundo na Primavera, o terceiro no Verão, e o quarto e mais jovem, no Outono.
Quando todos eles partiram, e retornaram, ele os reuniu, e pediu que cada um descrevesse o que tinham visto.
O primeiro filho disse que a árvore era feia, torta e retorcida.
O segundo filho disse que não, que ela era recoberta de botões verdes, e cheia de promessas.
O terceiro filho discordou; Disse que ela estava coberta de flores, que tinham um cheiro tão doce e eram tão bonitas, que ele arriscaria dizer que eram a coisa mais graciosa que ele jamais tinha visto.
O último filho discordou de todos eles; ele disse que a árvore estava carregada e arqueada, cheia de frutas, vida e promessas...
O homem então explicou a seus filhos que todos eles estavam certos, porque eles haviam visto apenas uma estação da vida da árvore...
Ele falou que não se pode julgar uma árvore, ou uma pessoa, por apenas uma estação, e que a essência de quem eles são, e o prazer, a alegria e o amor que vêm daquela vida podem apenas ser medidos ao final, quando todas as estações estão completas.
Se você desistir quando for Inverno, você perderá a promessa da Primavera, a beleza de seu Verão, a expectativa do Outono.
Não permita que a dor de uma estação destrua a alegria de todas as outras.
Não julgue a vida apenas por uma estação difícil.
Persevere através dos caminhos difíceis e melhores tempos certamente virão de uma hora para a outra!!!

Pois lembrem-se:
“O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Salmos 30:5)
“No mundo tereis aflições. Mas tende bom ânimo! Eu venci o mundo. (João 16:33)

Um dia abençoado para você!

SE EU MORRER ANTES DE VOCÊ


Se eu morrer antes de você, faça-me um favor: Chore o quanto quiser, mas não brigue com Deus por Ele haver me levado. Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me. Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo. Espero estar com Ele o suficiente para continuar sendo útil a você, lá onde estiver. E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase: - "Foi meu amigo, acreditou em mim e me quis mais perto de Deus!" - Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. E, vendo-me bem substituído, irei cuidar de minha nova tarefa no céu. Mas, de vez em quando, dê uma espiadinha na direção de Deus. Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz vendo você olhar para Ele. E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai, aí, sem nenhum véu a separar a gente,vamos viver, em Deus, a amizade que aqui nos preparou para Ele. Você acredita nessas coisas? Então ore para que nós vivamos como quem sabe que vai morrer um dia, e que morramos como quem soube viver direito. Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Mas, se eu morrer antes de você, acho que não vou estranhar o céu... "Ser seu amigo... já é um pedaço dele..."


Chico Xavier

quarta-feira, 7 de março de 2007




A paz é um dos tesouros mais desejados nos dias atuais. Muito se tem investido para se conseguir um pouco desse bem tão precioso.
Mas será que nós, individualmente, temos feito investimentos efetivos visando tal conquista?
O que geralmente ocorre é que temos investido nossos esforços na direção contrária, e de maneira imprópria.
É muito comum desejar a paz e buscá-la por caminhos tortos, que acabam nos distanciando dela ainda mais.
O Espírito Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, escreveu, certa feita, uma mensagem que intitulou ação de paz.
Eis o seu conteúdo:
“Aflição condensada é semelhante à bomba de estopim curto, pronta a explodir a qualquer contato esfogueante.
Indispensável saber preservar a tranqüilidade própria, de modo a sermos úteis na extinção dessa ou daquela dificuldade.
Decerto que para cooperar no estabelecimento da paz, não nos seria lícito interpretar a calma por inércia.
Paciência é a compreensão que age sem barulho, em apoio da segurança geral.
Refletindo com acerto, recebe a hora de crise sem qualquer idéia de violência, porque a violência sempre induz ao estrangulamento da oportunidade de auxiliar.
Diante de qualquer informação desastrosa, busca revestir-te com a serenidade possível para que não te transformes num problema, pesando no problema que a vida te pede resolver.
Não afogues o pensamento nas nuvens do pessimismo, mentalizando ocorrências infelizes que provavelmente jamais aparecerão.
Evita julgar pessoas e situações em sentido negativo para que o arrependimento não te corroa as forças do espírito.
Se te encontras diante de um caso de agressão, não respondas com outra agressão, a fim de que a intemperança mental não te precipite na vala da delinqüência.
Pacifica a própria sensibilidade, para que a razão te oriente os impulsos.
Se conservas o hábito de orar, recorre à prece nos instantes difíceis, mas se não possuis essa bênção, medita suficientemente antes de falar ou de agir.
Os impactos emocionais, em qualquer parte, surgem na estrada de todos; guarda, por isso, a fé em Deus e em ti mesmo, de maneira a que não te afastes da paz interior, a fim de que nas horas sombrias da existência possa a tua paz converter-se em abençoada luz.”
As palavras lúcidas de Emmanuel nos sugerem profundas reflexões em torno da nossa ação diária.
Importante que, na busca pela paz não venhamos a ser causadores de desordem e violência.
Criando um ambiente de paz na própria intimidade, poderemos colaborar numa ação efetiva para que a paz reine em nosso lar, primeiramente, e, depois possa se estender mundo afora.
Se uma pessoa estiver permanentemente em ação de paz, o mundo à sua volta se beneficiará com essa atitude.
E se a paz mundial ainda não é realidade em nosso planeta, façamos paz em nosso mundo íntimo. Essa atitude só depende de uma única decisão: a sua.


ESQUEMA DE LUZ

Não chores. Trabalha sempre.

Não condenes. Abençoa.

Não te revoltes. Perdoa.

Cultiva o amor fraternal.Não te detenhas.

Prossegue.Nada reclames.

Confia. Busca a celeste alegria, doando o bem pelo mal.

Não te lastimes. Espera.

Não combatas. Colabora. Serve e serve, hora por hora no Ideal que te conduz. E encontraremos mais cedo, no amor unido à verdade, a luz da felicidade em nosso esquema de luz.

Maria Dolores


MENSAGEM


Muitas vezes, solicitas orientação para a vida espiritual.Entretanto, medita:Desejando, sentes.Pensando, comunicas.Comunicando-te, realizas.Realizando, semeias.Semeando, colherás.Hoje, possuímos o que plantamos.No futuro, teremos o que estamos fazendo.Assim criamos o próprio destino usando as bençãos de Deus, através das quais receberemos da Sabedoria da Vida os resultados ou frutos de nossa próprias obras.

Emmanuel


NAS FILEIRAS DO BEM


Se pretendes manter posição, nas fileiras do bem, sustenta a própria fé na providência Divina.Abraça o trabalho do bem aos outros com alegria.Nao te comprometas com entretenimentos suscetíveis de arrojar-te a riscos desnecessários.Evita relacionamentos incovenientes ou inúteis.Nao adquiras compromissos acima das próprias forças e nem assumas débitos, para os quais não estejas dispondo das possibilidades de resgatar.Procura o lado melhor das situações e pessoas para qualquer referência.Detém-te no bem, com esquecimento do mal.Nao sonegues auxílio e compreensão aos semelhantes.Quando caias em erro, busca retificar-te, sem desculpismo.Nao te entregues ao desânimo, em momento algum.Aprende a colaborar com o bem do próximo, na convicção de que ninguém progride a sós.Nao condenes.Convence-te que mesmo as criaturas claramente transviadas, um dia, alcançarão o caminho da libertação e da paz.Nao aguardes ocorrências favoráveis para te harmonizares com a felicidade, reconhecendo que todos temos o dever de criar a felicidade possível para os outros, na certeza de que o benefício que nos decidirmos a doar, em auxílio de qualquer companheiro do caminho, será sempre parcela importante na soma de nosso próprio bem.Trabalha e serve constantemente.E certifica-te de que, onde o pensamento positivo do bem prevaleça, aí brilha o caminho do aperfeiçoamento de nossas almas para Deus, fortalecendo-nos para que estejamos na realização do melhor.

Emmanuel

EVITE MÁGOAS


Se não quiseres sofrer com as consciências atrasadas no que tange a evolução espiritual, procure ajuda-las. Aperfeiçoando a tua consciência, fazendo a tua parte com bastante humildade e perseverança. Procures não julgar o próximo, pois todos nós temos coisas a corrigir. Em primeiro plano, analises tuas maiores fraquezas, depois tuas falhas menores, tudo isto com muita paciência e calma. Trabalhes no bem infinitamente, refinando cada vez mais o que tens de melhor. Fazendo isto, o Alto te recompensará com uma dádiva de alegrias. Trabalhes sem esmorecer, não importando os resultados. Tenhas sempre disposição e perseverança. Lembra-te da célebre frase do Mestre Allan Kardec: “Ser hoje melhor do que ontem e amanhã ser melhor do que hoje”. Mesmo que sofras, deixes o orgulho e o ego de lado. Mantenha-te firme, igualmente à coluna de um grande prédio, onde qualquer trepidação poderá colocar em risco todos os andares. Mesmo que estejas distante da luz, os Espíritos Abnegados estão sempre prontos a auxiliar e para que isto aconteça, é necessário abrir o coração. Mesmo nas horas de sofrimento e enfermidade, sempre vai existir uma chama de amor acesa, pois sem ela, a vida não existiria. Fazes a tua parte amando a ti próprio, e diariamente lembra-te dos ensinamentos do Divino Mestre Jesus “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”.

terça-feira, 6 de março de 2007


EDUCANDÁRIO DE LUZ


Ninguém se reconheceria fora da paciência e do amor que Jesus nos
legou, se todos freqüentássemos a universidade da beneficência, cujos
institutos de orientação funcionam, quase sempre nas áreas da
retaguarda.
Aí, nos recintos da penúria, as lições são administradas, ao vivo,
através das aulas inumeráveis do sofrimento.
Tanto quanto possas e, mais demoradamente nos dias de aflição,
quando tudo te pareça convite ao desalento, procura experiência e
compreensão nessa escola bendita, alicerçada em necessidades e
lágrimas.
Se contratempos te ferem nos assuntos humanos, visita os irmãos
enfermos, segregados no hospital, a fim de que possas aprender a
valorizar a saúde que te permite trabalhar e renovar a esperança.
Quando te atormente a fome de sucesso nos temas afetivos e a
ventura do coração se te afigure tardia, toma contato com aqueles
companheiros que habitam furnas abandonadas, para quem a solidão se
fez o prato de cada dia.
Ante os empeços da profissão com que o mundo te honra a existência,
consagra alguns minutos a escutar o relatório dos pais de família,
entregues ao desespero por lhes escassearem recursos à própria
subsistência.
E, se experimentas disabores, perante os filhos que te enriquecem a
a alma de esperança e carinho, à face das tribulações que lhes gravam
a vida, observa aqueles outros pequeninos que caminham nas trilhas do
mundo, sem tutela de pai ou mãe que os resguarde, atirados à noite da
criminalidade e da ignorância.
Matricula-te no educandário da caridade e guardarás a força da
paciência.
Enriquece de cultura os dotes que te enfeitam a personalidade e
realiza na terra os nobres ideais afetivos que te povoam os
pensamentos, no entanto,se queres que a felicidade venha morar
efetivamente contigo, auxilia igualmente a construir a felicidade dos
outros.
Nosso encontro com aqueles que sofrem dificuldades e provações
maiores que as nossas será sempre, em qualquer lugar, o nosso mais
belo e mais duradouro encontro com Deus.


Mensagem retirada do livro "Paz e Renovação"
Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

A ALMA TAMBÉM


Casas de saúde espalham-se em todas as direções com o objetivo de sanar as
moléstias do corpo e não faltam enfermos que lhes ocupem as dependências.
Entretanto, as doenças da alma, não menos complexas, escapam aos exames
habituais de laboratório e, por isso, ficam em nós, requisitando a medicação,
aplicável apenas por nós mesmos.
Estimamos a imunização na patologia do corpo.
Será ela menos importante nos achaques do espírito?
Surpreendemos determinada verruga e recorremos, de imediato, à cirurgia
plástica, frustrando calamidades orgânicas de extensão imprevisível.
Reconhecendo uma tendência menos feliz em nós próprios é preciso ponderar
igualmente que o capricho de hoje não extirpado será hábito vicioso amanhã e
talvez criminalidade em futuro breve.
Esmeramo-nos por livrar-nos da neurastenia capaz de esgotar-nos as forças.
Tratemos também de nossa afeição temperamental para que a impulsividade
não nos induza à ira fulminatória.

Tonificamos o coração, corrigindo a pressão arterial ou ampliando os recursos
das coronárias a fim de melhorar o padrão de longevidade. Apuremos, de igual
modo, o sentimento para que emoções desregradas não nos precipitem nos
desvãos passionais em que se aniquilam tantas vidas preciosas.
Requintamo-nos, como é justo, em assistência dentária na proteção indispensável.
Empenhemo-nos de semelhante maneira, na triagem do verbo para que a nossa
palavra não se faça azorrague de sombra.
Defendemos o aparelho ocular contra a catarata e o glaucoma. Purifiquemos
igualmente o modo de ver. Preservamos o engenho auditivo contra a surdez.
No mesmo passo, eduquemos o ouvido para que aprendamos a escutar ajudando.
A Doutrina Espírita é instituto de redenção do ser para a vida triunfante. A morte
não existe.
Somos criaturas eternas. Se o corpo, em verdade, não prescinde de remédio,
a alma também.

André Luiz

EFETIVAMENTE


Vigiar não é desconfiar. É acender a própria luz, ajudando os que se
encontram nas sombras.
Defender não é gritar. É prestar mais intenso serviço às causas e às
pessoas.
Ajudar não é impor. É amparar, substancialmente, sem pruridos de
personalismo, para que o beneficiado cresça, se ilumine e seja feliz
por si mesmo.
Ensinar não é ferir. É orientar o próximo, amorosamente, para o
reino da compreensão e da paz.
Renovar não é destruir. É respeitar os fundamentos, restaurando as
obras para o bem geral.
Esclarecer não é discutir. É auxiliar, através do espirito de
serviço e da boa-vontade, o entendimento daquele que ignora.
Amar não é desejar. É compreender sempre, dar de si mesmo, renunciar
ao próprios caprichos e sacrificar-se para que a luz divina do
verdadeiro amor resplandeça.

André Luiz

(Mensagen retirada do livro "Agenda Cristã"
psicografia de Francisco Cândido Xavier)

CAMINHOS


" Nunca desanime diante das dificuldades
que você encontrar no caminho
de sua vida.
Elas servirão para aumentar ainda mais
a sua coragem de seguir
em frente."


(Desconhecido)

OLHE


Olhe para trás! Veja os obstáculos que você já superou. Veja quanto você já aprendeu nesta vida e quanto já cresceu. Olhe para frente! Não fique parado, levante-se quando tropeçar e cair. Estabeleça metas, tenha planos e prossiga com firmeza. Olhe para dentro! Conheça seu coração e analise seus projetos; mantenha puros seus sentimentos. Não deixe que o orgulho, a vaidade e a inveja dominem seus pensamentos e seu coração. Olhe para o lado! Socorra quem precisa de você. Ame o próximo e seja sensível para perceber as necessidades daqueles que o cercam. Olhe para baixo! Não pise em ninguém... Perceba as pequenas coisas e aprenda a valorizá-las. Olhe para cima! Há um Deus maior do que você, que te ama muito e tem todas as coisas sob seu controle. Olhe para Deus! Perceba a profundidade, a riqueza e o poder da bondade divina. Sinta esse Deus que olha por você em todos os dias da sua vida!


(desconheço o autor)

O MELHOR DE VOCÊ


A melhor coisa que você pode dar ao inimigo, é o seu perdão.Ao adversário, sua tolerância.Ao amigo, sua atenção.Ao filho, bons exemplos.Ao pai, sua consideração.A mãe, comportamento que a faça sentir orgulhosa.A todos os homens, caridade.A você próprio, respeito.

( Benjamin Franklin )

segunda-feira, 5 de março de 2007



OS INFORTÚNIOS OCULTOS


Nas grandes calamidades, a caridade se emociona e observam-se impulsos generosos, no sentido de reparar os desastres. Mas, a par desses desastres gerais, há milhares de desastres particulares, que passam despercebidos: os dos que jazem sobre um grabato sem se queixarem. Esses infortúnios discretos e ocultos são os que a verdadeira generosidade sabe descobrir, sem esperar que peçam assistência.
Quem é esta mulher de ar distinto, de traje tão simples, embora bem cuidado, e que traz em sua companhia uma mocinha tão modestamente vestida? Entra numa casa de sórdida aparência, onde sem dúvida é conhecida, pois que à entrada a saúdam respeitosamente. Aonde vai ela? Sobe até a mansarda, onde jaz uma mãe de família cercada de crianças. À sua chegada, refulge a alegria naqueles rostos emagrecidos. E que ela vai acalmar ali todas as dores. Traz o de que necessitam, condimentado de meigas e consoladoras palavras, que fazem que os seus protegidos, que não são profissionais da mendicância, aceitem o benefício, sem corar. O pai está no hospital e, enquanto lá permanece, a mãe não consegue com o seu trabalho prover às necessidades da família. Graças à boa senhora, aquelas pobres crianças não mais sentirão frio, nem fome; irão à escola agasalhadas e, para as menorzinhas, o leite não secará no seio que as amamenta. Se entre elas alguma adoece, não lhe repugnarão a ela, à boa dama, os cuidados materiais de que essa necessite. Dali vai ao hospital levar ao pai algum reconforto e tranqüilizá-lo sobre a sorte da família. No canto da rua, uma carruagem a espera, verdadeiro armazém de tudo o que destina aos seus protegidos, que todos lhe recebem sucessivamente a visita. Não lhes pergunta qual a crença que professam, nem quais suas opiniões, pois considera como seus irmãos e filhos de Deus todos os homens. Terminado o seu giro, diz de si para consigo: Comecei bem o meu dia. Qual o seu nome? Onde mora? Ninguém o sabe. Para os infelizes, é um nome que nada indica; mas é o anjo da consolação. A noite, um concerto de benções se eleva em seu favor ao Pai celestial: católicos, judeus, protestantes, todos a bendizem.
Por que tão singelo traje? Para não insultar a miséria com o seu luxo. Por que se faz acompanhar da filha? Para que aprenda como se deve praticar a beneficência. A mocinha também quer fazer a caridade. A mãe, porém, lhe diz: "Que podes dar, minha filha, quando nada tens de teu? Se eu te passar às mãos alguma coisa para que dês a outrem, qual será o teu mérito? Nesse caso, em realidade, serei eu quem faz a caridade; que merecimento terias nisso? Não é justo. Quando visitamos os doentes, tu me ajudas a tratá-los. Ora, dispensar cuidados é dar alguma coisa. Não te parece bastante isso? Nada mais simples. Aprende a fazer obras úteis e confeccionarás roupas para essas criancinhas. Desse modo, darás alguma coisa que vem de ti." É assim que aquela mãe verdadeiramente cristã prepara a filha para a prática das virtudes que o Cristo ensinou. E espírita ela? Que importa!
Em casa, é a mulher do mundo, porque a sua posição o exige. Ignoram, porém, o que faz, porque ela não deseja outra aprovação, além da de Deus e da sua consciência. Certo dia, no entanto, imprevista circunstância leva-lhe a casa uma de suas protegidas, que andava a vender trabalhos executados por suas mãos. Esta última, ao vê-la, reconheceu nela a sua benfeitora. "Silêncio! ordena-lhe a senhora. Não o digas a ninguém." Falava assim Jesus.

* * *

Allan Kardec. Da obra: O Evangelho Segundo o Espiritismo.


COM JESUS


A renúncia será um previlégio para você.
*
O sofrimento glorificará sua vida.
*
A prova dilatará seus poderes.
*
O trabalho constituirá título de confiança em seu caminho.
*
O sacrifício sublimará seus impulsos.
*
A enfermidade do corpo será remédio salutar para a sua alma.
*
A calúnia lhe honrará a tarefa.
*
A perseguição será motivo para que voçê abençoe a muitos.
*
A angústia purificará suas esperanças.
*
O mal convocará seu espírito à prática do bem.
*
O ódio desafiar-lhe-á o coração aos testemunhos de amor.
*
A Terra, com os seus contrastes e renovações incessantes, representará bendita escola de aprimoramento individual, em cujas lições purificadoras deixará você o egoísmo para sempre esmagado.

Xavier, Francisco Candido. Da obra: Agenda Cristã.Ditado pelo Espírito André Luiz.


AFEIÇÕES


O amor não é cego.Vê sempre as pessoas queridastais quais sãoe as conhece, na intimidade,mais do que os outros.
Exatamente por dedicar-lhesimenso carinho,recusa-se a registrar-lhesos possíveis defeitos,porquanto sabe amá-lasmesmo assim.

* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Caminhos.Ditado pelo Espírito Emmanuel.


ANTE O DIVÓRCIO


Toda perturbação no lar, frustando-lhe a viagem no tempo, tem causa específica. Qual acontece ao comboio, quando estaca indebitamente ou descarrila, é imperioso angariar a proteção devida para que o carro doméstico prossiga adiante.
No transporte caseiro, aparentemente ancorado na estação do cotidiano (e dizemos aparentemente, porque a máquina familiar está em movimento e transformação incessantes), quase todos os acidentes se verificam pela evidência de falhas diminutas que, em se repetindo indefinidamente, estabelecem, por fim, o desastre espetacular.
Essas falhas, no entanto, nascem do comportamento dos mais interessados na sustentação do veículo ou, propriamente, do marido e da mulher, chamados pela ação da vida a regenerar o passado ou a construir o futuro pelas possibilidades da reencarnação no presente, falhas essas que se manifestam de pequeno desequilíbrio, até que se desencadeie o desequilíbrio maior.
Nesse sentido, vemos cônjuges que transfiguram conforto em pletora de luxo e dinheiro, desfazendo o matrimônio em facilidades loucas, como se afoga uma planta por excesso de adubo, e observamos aqueles outros que o sufocam por abuso de sovinice; notamos os que arrasam a união conjugal em festas sociais permanentes e assinalamos os que a destroem por demasia de solidão; encontramos os campeões da teimosia que acabam com a paz em família, manejando atitudes do contra sistemático, diante de tudo e de todos, e identificamos os que a exterminam pelo silêncio culposo, à frente do mal; surpreendemos os fanáticos da limpeza, principalmente muitas de nossas irmãs, as mulheres, quando se fazem mártires de vassoura e enceradeira, dispostas a arruinar o acordo geral em razão de leve cisco nos móveis, e somos defrontados pelos que primam no vício de enlamear a casa, desprezando a higiene.
Equilíbrio e respeito mútuo são as bases do trabalho de quantos se propõem garantir a felicidade conjugal, de vez que, repitamos, o lar é semelhante ao comboio em que filhos, parentes, tutores e afeiçoados são passageiros.
Alguém perguntará como situaremos o divórcio nestas comparações. Divorciar, a nosso ver, é deixar a locomotiva e seus anexos. Quem responde pela iniciativa da separação decerto que larga todo esse instrumental de serviço à própria sorte e cada consciência é responsável por si. Não ignoramos que o trem caseiro corre nos trilhos da existência terrestre, com autorização e administração das Leis Orgânicas da Providência Divina e, sendo assim, o divórcio, expressando desistência ou abandono de compromisso, é decisão lastimável, conquanto às vezes necessária, com raízes na responsabilidade do esposo ou da esposa que, a rigor, no caso, exercem as funções de chefe e maquinista.

* * *

Xavier, Francisco Cândido.Ditado pelo Espírito Emmanuel.

sábado, 3 de março de 2007



A BELEZA VIVE DENTRO DE VOCÊ!


Sempre se lembre que a pele se enruga,o cabelo se torna branco,os dias se transformam em anos,mas o importante não muda,sua força e sua segurança não têm idade.
Seu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha.Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida,atrás de cada engano, há outro desafio.
Enquanto você estiver viva, sinta-se viva.Se fizer algo diferente, volte a fazê-lo.Não viva de fotos amareladas.
Siga em frente ainda que todos esperem que você desista.Não deixe que se oxide o ferro que existe em você.Faça que, em vez de pena, tenha lhe respeito.
Quando, devido à idade não puder correr, ande depressa.Quando não puder andar depressa, caminhe.Quando não puder caminhar use a bengala,mas não pare nunca,pois nunca o Senhor deixou de zelar por você.
Sempre Suas bênçãos esteve por sobre você e os seus.Nos mínimos detalhes, sempre a Graça Divina estará sobre você
e o que é seu,proporcionando-lhe o melhor, porque ninguém merece mais que você!

EM BUSCA DA PAZ


Saí um dia, infeliz que estava, em busca da paz...
Procurei-a primeiramente na Justiça, mas por todos os lados por onde eu olhava, somente via grassar injustiças...
Procurei-a na amizade mas percebi, na maioria das vezes, que a mesma se esvaía nos embates das adversidades primeiras... Procurei-a entre a fraternidade, faculdade, a mim, que deveria ser inerente ao ser humano... mas a mesma me afigurou travestida de interesses outros... Olhei para trás e, no meu afã de encontrar a tão decantada paz, procurei-a nos doces anelos da infância perdida... mas longe estava e não consegui alcançá-la com meus pensamentos sofridos... Continuei em sua busca mas por onde passava somente sofrimentos, lágrimas e chagas de outros seres mais infelizes que eu mesmo... Cansado, aturdido e desanimado, sentei-me em uma das curvas deste caminho chamado vida... Quando percebi, me dei conta de um grande carvalho crescido e havia, em meu egoísmo, sentado sob sua fronte, que oferecia sombra, sem nada pedir em troca... Percebi também, dentro de meu ego avantajado, pequenina flor que se abria e, com delicadeza oferecia, mesmo em detrimento de sua vida, beleza e perfume, cumprindo seu papel sem reclamos... De repente, um pássaro, sem temer a convivência estranha pousou perto de mim e, sem que pedisse, doce quão suave canto entoou, em troca apenas de umas migalhas de alimento, que me sobejavam... Olhei ao céu, em muda prece, e, encantado, ainda me dei conta de que o sol nasce todo dia, independente de agradecimentos, reconhecimento ou respeito cumprindo sua tarefa nos dando calor, vida e felicidade... Envergonhado perante tamanha lição de vida que a própria natureza, em sua grandeza, me dava... levantei-me e voltei sobre os passos dados... Reconciliei-me com os amigos não perdidos, sabendo que a hora é sempre aquela que fazemos, não a que esperamos... Abracei a todos aqueles mais infelizes que eu mesmo em seu infortúnio e, aturdido, me deparei perante olhos cheios de amor e alegria... Olhei para meu passado e - finalmente ! atingiram-me os ecos da infância, apenas esquecida e o riso alegre das horas de folguedo, vieram céleres em minha memória anímica...

Defrontei-me com a fraternidade, compreendendo sua importância... as mãos estendidas, sem outro comprometimento, falavam mais alto no coração daqueles que com ela compartilhavam... Até que me deparei com a injustiça e percebi que a mesma é o primeiro passo que devemos dar em busca da Justiça... Finalmente percebi que, para achar a paz que tanto buscava, teria primeiro de buscá-la em meu próprio ser e, não, em meu egoísmo...

(autor desconhecido)

SEMEADURA


Quem planta árvores, Colhe alimento.

Quem semeia flores, Colhe perfume.

Quem semeia o trigo, Colhe o pão.

Quem planta amor, Colhe amizade.

Quem semeia alegria, Colhe felicidade.

Quem planta a vida, Colhe milagres.

Quem semeia a verdade, Colhe confiança.

Quem planta fé, Colhe a certeza,

Quem semeia carinho, Colhe gratidão.

No entanto, há quem prefira, Semear tristeza e colher desconsolo, Plantar discórdia e colher solidão, Semear vento e colher tempestade, Plantar ira e colher desafeto.
Semear descaso e colher um adeus Plantar injustiça e colher abandono.

Somos semeadores conscientes, Espalhamos diariamente Milhões de sementes Ao nosso redor.
Que possamos escolher Sempre as melhores, Para que, ao recebermos A dádiva da colheita farta, Tenhamos apenas motivos Para agradecer...

(Autor desconhecido)

Maria Mãe Santíssima

Maria Mãe Santíssima
Pedimos-Te a misericórdia. Pedimos-Te concessões de momentos mais férteis de amor, de paz, de compreensão entre as almas. Que Tu possas envolver cada Espírito, cada alma na Sua força, na Sua bondade, na Sua imensa misericórdia. Que, através das notas soantes da Ave Maria, possamos Te rogar a paz a estes Espíritos que aqui estão, o entendimento, a abnegação destas almas que se dispõem a se doar em benefícios, em atendimentos a tantos sofrimentos. Que a Tua imagem, Mãe Santíssima, possa surgir e evoluir diante de cada criatura, trazendo a mensuração certa de cada momento vivido e a intenção de uma recuperação a todos que sofrem e que estão aturdidos em corpo e em mente. Mãe amada, venha a nós em todos os instantes, participe conosco destes momentos que nos trazem angústias e sofrimentos. Auxilia, ampara, engrandece cada criatura, dentro das suas disposições eternas e colabora a cada dia, a cada instante, para que se tornem todos os Espíritos maleáveis no amor e na compreensão. Que possas, Mãe, estar conosco a todos os instantes. (Emmanuel)

Página no Facebook

SALMO 23

SALMO 23
.O Sєทнσr é σ мєυ ραsτσr, ทα∂α мє ƒαℓταrá. ∂єiταr-мє ƒαʑ єм vєr∂єs ραsτσs, gυiα-мє мαทsαмєทτє às ágυαs τrαทqυiℓαs; rєƒrigєrα α мiทнα αℓмα, gυiα-мє ρєℓαs vєrє∂αs ∂α נυsτiçα ρσr αмσr ∂σ sєυ ทσмє, αiท∂α qυє єυ αท∂αssє ρєℓσ vαℓє ∂α sσмвrα ∂α мσrτє ทãσ τємєriα мαℓ αℓgυм, ρσrqυє τυ єsτás cσмigσ, α τυα vαrα є σ τєυ cαנα∂σ мє cσทsσℓαм; ρrєραrαs υмα мєsα ρєrαทτє мiм ทα ρrєsєทçα ∂σs мєυs iทiмigσs, υทgєs α мiทнα cαвєçα cσм óℓєσ, σ мєυ cáℓicє τrαทsвσr∂α; cєrταмєทτє qυє α вσท∂α∂є є α мisєricór∂iα мє sєgυirãσ τσ∂σs σs ∂iαs ∂є мiทнα vi∂α, є нαвiταrєi ทα cαsα ∂σ sєทнσr ρσr ℓσทgσs ∂iαs. qυє αssiм sєנα..

VISITAS

web counter free